Como tirar muda de orquídeas

Quem tem o hobbie de cultivar orquídeas em casa geralmente tem o desejo de multiplicar suas meninas e se pergunta: Como tirar muda de orquídeas? 

Por mais que pareça trabalhoso na verdade é realmente muito simples fazer mudas de orquídeas uma vez que você passa a conhecer o tipo de orquídea que está cultivando. 

Comercialmente (em floriculturas), elas são propagadas por uma técnica de micropropagação em laboratório ou mesmo utilizando sementeiras. Técnicas essas que são muito eficazes, embora em casa não dispomos dos mesmos instrumentos e condições que um laboratório 

Geralmente o método mais utilizado é a divisão de rizomas, por ser mais prático e mais assertivo com a maioria das orquídeas, entretanto pode exigir cuidados dependendo da espécie de orquídea cultivada. 

Temos basicamente dois tipos de orquídeas tomando por base a sua forma de crescimento: As que crescem no sentido Vertical (Monopodial) e as de crescimento horizontal (simpodial). 

saiba como tirar muda de orquideas
Como tirar muda de orquídeas

Orquídeas monopodiais crescem assemelhando-se a um pé de milho e tem por características serem “solitárias”, permitindo praticamente uma planta por vaso. É o caso das orquídeas Vandas e Phalaenopsis. 

Orquídea Vanda
Orquídea Vanda

Já as orquídeas Simpodiais, são aquelas que “perfilham” ou em outras palavras, aumentam o rizoma e emitem os pseudo-bulbos, hastes e acabam enraizando no substrato. É o caso da orquídeas Cattleya, Catasetuns e Dendroibuns. 

tipos de Orquídea Cattleya
Orquídea Cattleya

Sendo assim, os pseudo-bulbos podem ser considerados estruturas de armazenamento de nutrientes e águas nessas orquídeas e também é onde são emitidas as folhas e hastes florais. Sua importância já ficou clara. Ao tirar mudas de orquídeas através do seccionamento do rizoma o pseudo-bulbo irá alimentar a nova muda até ocorrer o enraizamento no novo substrato.  

Basicamente temos três técnicas comuns para tirar mudas de orquídeas em casa: 

Semeadura, fazendo cortes nas orquídeas e a clonagem* 

Fazendo cortes nas orquídeas 

O corte das orquídeas sempre criará uma nova planta que será igual a muda original.  

Primeiro precisamos avaliar se a planta está no momento certo para se fazer o corte. Haja vista, que sempre que ferimos a orquídea ela fica estressada e pode ser uma porta de entrada para pragas e doenças.  Precisamos fazer o corte de modo a minimizar os danos à planta. 

Sendo assim, precisamos verificar se a mesma está emitindo brotos, que é o momento ideal para reproduzí-la. Se de um lado a orquídea está brotando, muito provavelmente as gemas do lado contrário estarão adormecidas e poderão originar novas mudas. 

Orquídea Brotando
Broto de orquídea

Ao verificar a existência das brotações, fazemos um corte no rizoma para que a nova muda possua tais bulbos e as brotações adormecidas, utilizando uma ferramenta muito afiada para evitar “machucados” desnecessários. 

Alguns orquidófilos preferem não remover os bulbos cortados até que as brotações adormecidas contenham pelo menos 2 ou 3 folhas e algumas raízes e só depois é que as plantam em local definitivo. 

Esse é o procedimento que fazemos nas orquídeas de crescimento simpoidal. 

Leia também: https://comoplantar.club/orquideas/epoca-de-floracao-das-orquideas/

Orquídeas que emitem Keikis 

No idioma havaiano, Keiki significa Bebê, e é por isso que chamamos as brotações (mudas) pequenas de algumas espécies de orquídeas de keikis. 

Ao se desenvolverem, cada “keiki” originará uma nova orquídea adulta, com as mesmas características da planta mãe. 

É o método de propagação muito difundido e eficiente entre as espécies Dendrobium, Epidendrum e Phalaenopsis. 

keike para retirar
Keike para retirar

Geralmente, os keikis se formam quando a orquídea é mantida em locais muito úmidos e com pouca luminosidade (abaixo do esperado para aquela espécie). O keiki se tornaria um “cacho” de flores, porém devido as condições acima citadas, a planta opta por emitir filhotes, e os botões florais dão lugar às nova mudas. 

Por estarem ligados à planta mãe por meio das raízes, os keikis se alimentam de nutrientes e água provenientes da mãe, sendo que ao emitir raízes, estas realizam apenas funções secundárias.  

No momento em que as raízes ultrapassarem 5 cm já é hora de fazer o corte e separar as mudas da orquídea mãe e plantá-la num vaso novo. 

Como obrigar a formação dos novos keikis para tirar mudas de orquídeas 

O primeiro passo já foi ensinado anteriormente. (modificar as condições climáticas da planta) 

É importante salientar que quando você estimular as orquídeas a darem mudas elas não terão uma florada satisfatória ou podem até não emitir flor nenhuma. Então cabe ao orquidófilo avaliar se irá querer mudas ou flores. 

Outra forma de fazer esse estímulo é por meio da utilização de pastas ou compostos de hormônios específicos para estimular o despertar das gemas para tirar mudas das orquídeas. 

Específicamente no caso das orquídeas Phalaenopsis é possível obter mudas após a floração, cortando a haste floral em pedaços de aproximadamente 10 cm e plantá-los em pé. O substrato a ser utilizado deve ser composto de perlita, pó de coco e areia.  

Podar haste floral Phalaenopsis
Podar a haste floral nas Phalaenopsis

Antes de replantar, é necessário passar canela em pó nas partes cortadas para evitar a entrada de fungos, bactérias e outras pragas de orquídeas. 

Faça regas periódicas a fim de manter a umidade no substrato, porém não é bom fazer o encharcamento. A cada 10 dias é proveitoso fazer uma borrifação de vitamina B e hormônio de crescimento, facilmente encontrado nas casas de produtos agrícolas. 

Assim que os brotos estiverem com 3 ou 3 folhas e raízes podem ser retirados e plantados no local definitivo ou fixados em troncos e etc. 

Como plantar sementes de orquídeas em casa 

Plantar sementes de orquídeas em casa é o método menos utilizado, devido ao seu tempo de espera e o baixo resultado. 

De forma geral, os orquidófilos que querem fazer as sementes germinarem seguem uma receita pouco convencional, mas que aumenta as chances de sucesso. 

Vamos lá! 

Sementes de orquídeas
Sementes de orquídeas

AS sementes das orquídeas possuem pouco material nutritivo em seu interior. Sendo assim, precisam de se associar a um fungo benéfico, conhecido como Micorriza. 

As micorrizas fazem a “digestão” de compostos e matéria orgânica e transformam em nutrientes viáveis, que são disponibilizados para as plantas absorverem. 

Sendo assim, precisamos colaborar para a associação da orquídea com a micorriza. 

Receita para germinar as sementes de orquídeas 

Macere 2 raízes de orquídeas adultas em água de coco.  

Em seguida, abra a cápsula de sementes de orquídeas e misture à água de coco. 

Encontre um tronco de árvore inclinado e despeje lentamente a mistura para que as sementes possam se fixar no mesmo. 

Apesar da cápsula possuir milhares de sementes, apenas algumas irão germinar. 

Outra forma de se fazer é semear diretamente num tronco que já tem orquídeas enraizadas, pois as sementes também aproveitarão as micorrizas presentes na orquídea adulta. 

Micropropagação de orquídeas: 

Outra forma de tirar mudas de orquídeas é a micropropagação ou clonagem de orquídeas, que consistem em retirar uma pequena parte do meristema e cultivá-lo em meio de cultura, com ambiente totalmente controlado. 

São mantidos temperatura, umidade, meio de cultura (alimento) para as mudas de orquídeas num ambiente asséptico, condições encontradas apenas em laboratório, o que dificulta essa tentativa em casa. 

Micropropagação de orquídeas
Micropropagação de orquídeas

*Meristema: é a parte da planta que possui células tronco que se transformam em qualquer parte de uma planta. 

Resumindo: Tirar muda de orquídeas é um processo relativamente fácil, porém exige um pouco de dedicação e cuidado. 

O método que eu particularmente prefiro é o corte da haste da Phalaenopsis e o corte do rizoma nas outras espécies. 

Espero que tenham gostado do nosso artigo, comentem, curtam e compartilhem nas redes sociais. 

E quem tiver interesse em aprender técnicas mais avançadas é só clicar aqui e conhecer nosso manual de cultivo de orquídeas

Um forte abraço e até o próximo artigo! 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: